ANA MORENA É A CONVIDADA DE HOJE DA COLUNA OUÇA ESSE CONSELHO

OUÇA ESSE CONSELHO é um espaço livre para opiniões, análises, reflexões, desabafos, sugestões e acolhimento. Toda semana, você encontrará aqui textos escritos por membros do Conselho Consultivo da SIM, refletindo a multiplicidade de opiniões e vozes.

 

MOLA PROPULSORA

Por Ana Morena

Eu jamais dou conselho, até pra não contrariar a minha avó (e qualquer avó muito provavelmente) que repetia a máxima que conselho se fosse bom não se dava, se vendia. Vovó dizia isso normalmente contrariada por a gente não ouvi-la e preferir arriscar se lascar tomando alguma decisão que ela já sabia que ia dar ruim.

Mas eu sempre gosto de compartilhar experiências, minhas e de outras pessoas porque, talvez, com exemplos reais, fique mais fácil para o outro se ver naquilo e assim pular algumas etapas do “se lascar”.

Uma vez me perguntaram o que fazer para ter uma carreira bem sucedida. Primeiro fiquei muito honrada em saber que aquela pessoa me considerava bem sucedida, mas logo me ocorreu que está aí o ponto crucial de quem começa na música e se decepciona rapidamente: se sentir bem sucedido. E o que é ser bem sucedido? Aí vai de cada um e do que se quer alcançar com o trabalho.

Por exemplo: eu tenho um Combo Cultural que trabalha há 20 anos com música e cultura nesse país. Somos sediados no nordeste do país, em Natal/RN, e o nosso foco é gerar  visibilidade da cena potiguar para fora do estado. Também tenho uma banda de rock instrumental que vive em turnê pelo Brasil e pelo mundo. Trabalho com o que gosto, com pessoas que respeito e sou fã e vivo da música seja tocando, empreendendo ou fomentando e, mesmo não estando nem perto da estabilidade que gostaria, realizo o que me proponho e me sinto satisfeita e feliz. Na minha forma de pensar, tenho uma carreira bem sucedida mesmo não sendo, e acredito que jamais serei, rica ou famosa. E isso normalmente é o que a maioria das pessoas considera ser bem sucedida nesse modelo capitalista em que vivemos que promove o consumo desenfreado de futilidade e culto a celebridades.

Ser bem sucedida é muito mais sobre o que lhe traz felicidade do que sobre os números que você alcança. Muitas vezes o que é incrível para um artista pode ser a morte para outro porque apesar desse sistema repetir sem parar que somos todos iguais, a verdade é que não somos nada iguais, somos absolutamente diferentes e únicos. Sei que não estou dizendo nada de novo, mas é sempre bom lembrar.

Então, se eu fosse dar um conselho seria: pense bem sobre isso, sobre o que lhe traz alegria e felicidade. Claro que o seu objetivo pode sim ser rico e famoso (quem nunca?), mas o que eu tenho percebido é que sempre que a mola propulsora é voltada exclusivamente para os números, sejam rentáveis ou de popularidade, a possibilidade de frustração e de realização de um conteúdo aquém é enorme. As exceções que vemos por aí são exatamente isso, exceções.

A minha mola propulsora é comprometimento, foco e continuidade com aquilo que me traz um sentimento de “é isso!”. E a sua, qual é?

 

Ana Morena é produtora, curadora, musicista e sócia e idealizadora do DoSol, combo cultural Também é baixista do Camarones Orquestra Guitarrística e participa de outras bandas como a Talma&Gadelha, Aiyra e Bandíssima.

 

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

+ SIM NEWS

pt_BRPortuguês do Brasil