CONHEÇA OS PARTICIPANTES DOS SHOWCASES APOIADOS PELA SIM TRANSFORMA

A SIM São Paulo, que nesse ano, diante de um desafio global, se reinventou e terá um evento todo digital, mostra desde seu início uma inquietação diante das desigualdades. Foi a partir desse pensamento que surgiu a SIM Transforma, que desde 2015 vem quebrando barreiras sociais e geográficas e possibilitando o reconhecimento de artistas de regiões menos favorecidas através de uma parceria com as fábricas de cultura, oferecendo mentorias e orientação sobre possiblidades de carreira na indústria da música, instruções a artistas de uma nova cena emergente e a crença no poder da transformação social através da música.

“A música produzida nas periferias sempre trouxe importantes inovações e revelou grandes artistas para a música brasileira, então é natural que projetos desenvolvidos em regiões periféricas estejam ocupando espaços de destaque em eventos que acompanham de perto estas inovações e transformações, como a SIM São Paulo. A própria SIM Transforma tem tido um papel importante ao conectar artistas destas regiões com profissionais de referência da música, pois por um lado contribui para a formação profissional deste artista e por outro permite que ele apresente seu trabalho a estes profissionais, que muitas vezes atuam também como curadores em diferentes projetos”, comenta Murilo Murah, analista de Articulação e Difusão das Fábricas de Cultura.

Em sua edição 2020, a SIM São Paulo vai oferecer apoio logístico a quatro artistas selecionados para apresentações nos showcases oficiais, garantindo assim as melhores condições e toda a estrutura necessária. São eles: Marabu, Rafaeu, Tinna Rios e Ma Boo.

Rafaeu, que além de cantor também compõe e arranja suas músicas, diz que a expectativa para a apresentação é alta: “Essa será minha primeira apresentação com uma estrutura adequada, estou me preparando muito”. A carreira musical de Rafaeu é a realização de um sonho. Em 2017 ele começou um projeto no YouTube, onde misturava poesia e imagens. “Ali eu falava como é viver em uma cidade preconceituosa, racista e homofóbica, e com esse projeto consegui me expressar artisticamente pela primeira vez. A partir daí ressurgiu a vontade de cantar, que eu tinha desde a infância, mas parecia algo que eu jamais poderia validar”. Mas ele conta que então começou a correr atrás, aprendeu canto, fez teatro, aprendeu a se expressar em um palco e finalmente em 2018 lançou sua primeira música, Migué, que ele define como uma mistura de repente com maracatu e influências de Elza Soares e Sabotage. Mais uma parte dessa história será escrita na apresentação que ele fará nos showcases oficiais da SIM.

Com mais experiência nos palcos, a cantora Ma Boo quer mostrar a essência de seu primeiro álbum, Brazuca, que será lançado em breve e promete músicas inéditas para a apresentação nos showcases oficiais da SIM, dizendo que sua música é muito ligada ao afrofuturismo, e que mistura ritmos nordestinos com a essência da diáspora africana.

Ma Boo sempre teve uma preocupação em pensar no coletivo, e vê na apresentação uma oportunidade para dar voz e visibilidade aos artistas com os quais tem parceria e que participaram do seu álbum. Para os showcases da SIM, ela convidou Peeh Augusto, Fúria, Gabi D’Oyá e Jovem do Blues.

Outro participante, o cantor Marabu, conta que mesmo nesse contexto da pandemia, o ano foi bem produtivo. Ele participou da Coletânea Células e no final do ano lança seu primeiro álbum solo, com produção de Levi Keniata e parceria com a Victoria “Nazura, que está cuidando de toda a parte visual do projeto. “Quando tocar na SIM, o disco já terá sido lançado, por isso será importante, será o primeiro show do meu álbum” conta ele. “Quando estou em um palco, minha expectativa é criar conexões reais, com pessoas reais, procuro despertar novas emoções e ajudar as pessoas a criar novas perspectivas para sua concepção de arte, da vida, da sua trajetória”, Marabu diz que está trabalhando em dobro para realizar uma apresentação bonita. “É uma oportunidade muito boa para estabelecer conexões com pessoas do mercado da música, que caso criem alguma identificação com o meu trabalho, podem nos ajudar a chegar em outros lugares. Agradeço muito à SIM São Paulo por construir essas pontes”, conclui.

Tinna Rios, conta que conta que se inscreveu no ano passado e ficou muito triste por não ser selecionada, e que nesse ano se inscreveu sem muitas expectativas. “Quando recebi o email, eu não acreditei, fiquei muito feliz por conta de tudo o que tem acontecido em minha vida. Posterguei minha carreira por muito tempo minha carreira de cantora, só decidi que é isso o que eu quero na minha vida há três anos e desde então venho me empenhando a melhorar, a aprender a ser uma artista melhor a cada dia. Estar na SIM me deixou muito feliz, isso é um resultado do que estou buscando”, conta ela. Recentemente Tinna lançou o clipe da música Mi Corazón. “ Fiz em casa com minhas cachorras e a galinha, uma coisa meio doida que mostra minha personalidade”, se diverte.  Entre os planos futuros, está uma colaboração com o rapper Sobrenome De Mello, que sai ainda em outubro. Em novembro ela lança uma música com uma mensagem forte para o dia da consciência negra e em janeiro  lança Meu Momento, uma música escrita em parceria com o DJ Rob-Z, de Brasília, mas dessa vez, com uma sonoridade diferente, mais eletrônica.

Os showcases oficiais da SIM 2020 contam com a participação de 44 artistas de 11 países diferentes e acontecerão nos dias 2, 3, 4 e 5 de dezembro, das 14h às 20h, dentro da programação do evento, transmitida pelo portal da SIM.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Categorias:

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

+ SIM NEWS

pt_BRPortuguês do Brasil