O MUSICÓLOGO E JORNALISTA ZUZA HOMEM DE MELLO MORRE AOS 87 ANOS

Zuza Homem de Mello, jornalista, musicólogo, pesquisador musical e escritor, morreu na manhã deste domingo, 04 de outubro, em sua casa em Pinheiros, em São Paulo. Ele participou da SIM São Paulo em 2015.

A notícia foi divulgada pela família: “Com enorme dor no coração comunico que perdemos nosso querido Zuza. Ele morreu dormindo, de infarto, após termos brindado na noite de ontem todos os projetos bem sucedidos. Em 35 anos de vida compartilhada, pude testemunhar o amor desse homem pela vida, pelo seu trabalho e pela música. Zuza nos deixou em paz após viver uma vida plena!”. Assinam a nota Ercilia Lobo (viúva), filhos e netos.

E de fato Zuza tinha motivos para comemorar na noite de sábado. Sempre ativo e com uma carreira longa e vibrante, ele havia finalizado nesta semana uma biografia sobre João Gilberto, com lançamento previsto para o final de 2020.

Também no sábado, 3, aconteceu o lançamento da série digital Muito Prazer, Meu Primeiro Disco, feito para o Sesc Pinheiros, com curadoria de Zuza e do jornalista Lucas Nobile. O episódio de estreia tem Gilberto Gil revisitando o álbum “Louvação”.

A longa carreira de Zuza foi retratada no filme Zuza Home de Jazz (2018), da diretora Janaina Dalri, com depoimentos de pessoas que conviveram com ele no Brasil e no exterior, além de participação do próprio Zuza, inclusive com cenas gravadas em Nova York. Janaína fala sobre Zuza: “Me faltam palavras e o que sobra é um coração apertado. Zuza, você mudou minha vida. Que sorte ter te conhecido e convivido contigo. E que privilégio ter contado a sua história.  Isso eu levo pra sempre dentro de mim. Obrigada por tudo mestre”.

José Eduardo Homem de Mello, ou apenas Zuza, como ficou conhecido, nasceu em 20 de setembro de 1933. Em 1955 abandonou o curso de engenharia para se dedicar à música, começando a tocar baixo nos clubes de jazz de São Paulo. Logo essa paixão o levaria aos Estados Unidos para cursar a Lenox School of Jazz e estudar na Juiliard School of Music, em Nova York. Nesse período, viu ao vivo alguns de seus ídolos como Duke Ellington, Billie Holiday, Miles Davis, Thelonious Monk e John Coltrane.

Na volta ao Brasil em 59, Zuza se consagra como produtor e como engenheiro de som. Atuou em programas de MPB, como O Fino da Bossa, e nos grandes festivais da TV Record. A carreira como produtor o levou a trabalhar com os maiores nomes da música brasileira e internacional, dirigindo shows, festivais e especiais. Elis Regina, Elizeth Cardoso, João Bosco, Jackson do Pandeiro, Gilberto Gil, Milton Nascimento, Lenine, Chico César, a lista é imensa. Também foi jurado de importantes festivais, além de apresentar palestras e cursos sobre Música Popular Brasileira e Jazz no Brasil e no exterior. Foi curador do Free Jazz Festival desde sua primeira edição, em 1985, e do Tim Festival, além de participar convidado de inúmeros festivais internacionais, como Montreaux Jazz Festival, Edimburgh Jazz & Blues Festival, MIdem and Tokio Jazz Festival, entre muitos outros.

Zuza também apresentou programas no rádio e na TV, como a série Jazz Brasil, na TV Cultura, e o Programa do Zuza, na rádio Jovem Pan. Escritor e jornalista, atuou como crítico do jornal O Estado de S. Paulo e outros grandes veículos. Publicou oito livros, além da recém-concluída biografia de João Gilberto, e coordenou edições importantes como a Enciclopédia de Música Brasileira e a coleção didática História da Música Brasileira, da editora Abril.

“Zuza foi testemunha protagonista e historiador do melhor da música popular brasileira. Recomendo seus livros como chaves para entender a MPB, esse fenômeno único no mundo”, diz Pena Schmidt, produtor e membro do Conselho Consultivo da SIM.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
Categories:

Responses

Your email address will not be published. Required fields are marked *

+ SIM NEWS

en_USEnglish
pt_BRPortuguês do Brasil en_USEnglish